Clique aqui e veja as últimas notícias!

CAMPO GRANDE

Após vendaval, homem vai consertar telhado, cai e morre

Antônio Batista é a terceira pessoa que morre ao tentar realizar reparos dos estragos causados pelos ventos de 102 km/h; outras duas continuam feridas
18/10/2021 15:25 - Izabela Cavalcanti, Thais Libni


O aposentado, Antônio Batista, de 54 anos, morreu no início da tarde desta segunda-feira (18), após tentar consertar o telhado de uma casa, que foi atingida pelo vendaval na última sexta-feira (15), e cair de, aproximadamente, três metros. O caso aconteceu por volta de 12h, na rua João Selingardi, Parque do Lageado. 

Ele é a terceira pessoa que morre ao tentar realizar reparos dos estragos causados pelos ventos de 102 km/h; outras duas estão feridas.

Últimas notícias

Antônio é morador da casa da frente, onde aconteceu o acidente e aluga outras duas casas para inquilinos. Conforme explica um dos filhos dele, Luciano Lima, de 25 anos, o pai tinha comentado que iria arrumar o telhado de uma das casas em que ele alugava, após a moradora ter pedido.

No entanto, sua esposa pediu para que esperasse o filho para ir junto, mas Antônio acabou indo sem avisar ninguém. Quando um dos outros dois filhos chegou em casa, não viu o pai e avistou a escada ainda no local. Na casa não havia ninguém.

Ao chamar, ninguém saiu, então o filho arrombou a porta e encontrou o pai caído no chão com uma poça de sangue na cabeça.

"Meu irmão chegou em casa, viu que meu pai não estava e viu que a escada ainda estava lá. Como não tinha ninguém nada casa, ele teve que arrombar, e encontrou meu pai caído no chão", explicou.

Antônio deixa três filhos, de 23, 25 e 28 anos, esposa e uma neta.

A inquilina do imóvel, que preferiu não se identificar, conta que Antônio foi arrumar o telhado do banheiro e foi andando pela casa para ver se tinha alguma outra solta e acabou caindo no quarto.

Vitimas da tempestade

A tempestade causou a morte de mais duas pessoas e outras duas ficaram gravemente feridas. 

Oswaldo Seiken Shirado, de 80 anos, veio a óbito na Santa Casa de Campo Grande, após cair do telhado de sua residência ao tentar remover partes de uma árvore que havia caído em sua casa.

De acordo com a assessoria da Santa Casa, desde a admissão, o paciente estava instável e apresentava múltiplas fraturas.

O empresário de 36 anos, Diego Teruya, morreu devido a uma descarga elétrica. 

De acordo com informações da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (DEPAC), Diego levou um choque de um gerador de energia a gasolina monofásica durante o temporal de sexta (15) e só foi encontrado no sábado (16). 

As rajadas de ventos de 102 km/h causaram a queda de mais de 150 árvores na cidade e duas pessoas foram atingidas por árvores em seus veículos.

Sendo uma jovem de 16 anos, que estava dentro de um carro na Avenida Bandeirantes, quando uma árvore despencou sobre o seu veículo, fraturando o membro inferior da jovem, que foi atendida e passa bem.

E um motociclista, de 58 anos, atingido na cabeça por uma árvore, na região do bairro Vila Bandeirantes, ficando preso debaixo dos destroços da árvore até ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros e ser levado para a Santa Casa a onde está internado em estado grave.

"Está sedado, entubado e grave no momento, internado pela equipe da neurocirurgia no CTI devido TCE grave e trauma cervical e em uso de medicações para controle da pressão e tratamento de pneumonia. Também seguirá em tratamento conservador pela equipe da bucomaxilofacial devido fratura de maxilar. Segue em vigilância neurológica rigorosa", informou a assessoria da Santa Casa. 

Assine o Correio do Estado