Clique aqui e veja as últimas notícias!

LANÇAMENTO

Citroën apresenta mundialmente – em parte – a nova geração do C3

O modelo será mostrado por inteiro apenas no primeiro trimestre de 2022
25/09/2021 09:52 - Daniel Dias/AutoMotrix


Mais de meio ano antes da estreia da nova geração, a Citroën promoveu o “lançamento” mundial e uma espécie de “reserva de espaço” do novo C3. 

A motorização é um dos tantos “segredos guardados a sete chaves” pronunciados de forma monocórdia pela comunicação da marca francesa pertencente à Stellantis durante a “live”. 

Preços e versões, nem pensar, apenas a promessa que virão junto com a chegada do carro, no primeiro trimestre de 2022. De concreto, o antes hatch surgido em 2002 passou por uma grande reestilização, inclusive, mudando de turma, ganhando roupagem de um estiloso SUV compacto – na verdade, o novo modelo parece um “pequeno Cactus”, uma versão menor do carro mais vendido da marca no Brasil. 

Assegurar o futuro da Citroën exige uma maior presença internacional e a consolidação da marca em todos os mercados em que operamos, incluindo a América do Sul, o Oriente Médio, a África, Ásia e China, bem como uma abertura para outros países, como a Índia. Para isso, desenvolvemos um ambicioso plano de produtos que prevê o lançamento de três modelos com vocação internacional em três anos. Modelos pensados, desenvolvidos e produzidos em regiões estratégicas. O novo C3 é uma peça essencial dessa aceleração e o primeiro estágio de nossa estratégia de crescimento. É um hatch que mira um dos principais segmentos da América do Sul”, explicou Vincent Cobée, CEO da Citroën.

Se a marca francesa prefere manter segredos, é possível fazer algumas especulações com base no que a Stellantis (união da FCA – Fiat e Chrysler – e da PSA – Peugeot e Citroën) tem a oferecer em termos de motorização para o novo C3. 

Provavelmente, uma das versões do C3 hatch-SUV terá “powertrain” herdado do Peugeot 208, um 1.6 aspirado bicombustível de até 118 cavalos de potência, 15,4 kgfm de torque e câmbio automático de 6 marchas. Nas configurações de entrada, pode ter o 1.0, também aspirado, Firefly da Fiat de 77 cavalos, 10,9 kgfm e câmbio manual de 5 velocidades, o mesmo do Argo e do Mobi. 

O mais provável: o novo C3 deve ter o motor 1.0 GSE turbo que estreará no primeiro SUV da Fiat no Brasil, o Pulse – um dos principais lançamentos da indústria automotiva nacional para este ano.